Paris

Junho, 2018 | escrito por Talita

Paris não fazia parte da nossa #wishlist. Nunca achamos muito o nosso estilo, sabe? Cidade grande e cara (Euro sempre muito valorizado). Fomos mais pois conseguimos unir o útil ao agradável: o irmão do Alê já morava perto de Paris (em Courbevoie) há 2 anos com a família e sempre convidava a gente, e eu acabei passando para um Summer School de uma semana na cidade. Foi o casamento perfeito!

 

Quando as coisas têm que acontecer, elas acontecem, não tem jeito. Tudo conspirou a favor da nossa ida à Europa (fomos também para Londres e Toulouse), então lá fomos nós, sem roteiro e sem planos pela primeira vez na história das nossas viagens (o Lindo é o louco das planilhas, da organização e dos roteiros).

Paris conseguiu surpreender a gente de todas as formas possíveis! A cidade é extraordinariamente linda. Quando descemos do metrô no centro da Paris pela primeira vez, a sensação que eu tive foi de ter sido teletransportada para outro século. A arquitetura é clássica e super conservada, os monumentos e museus exalam história e o céu. Ahh, o céu! O que falar do céu de Paris? Lembra uma pintura de Monet, é tão lindo que dá para ficar horas deitado admirando, na grama de umas das milhões de praças que existem.

Além de tudo ainda fomos na Copa do Mundo, então a cidade estava com um clima super especial!

Ficamos completamente encantados pelo lugar e finalmente entendemos por que Paris é uma das cidades mais visitadas do mundo

Antes de continuar lendo, coloque La Vie en Rose (amo essa versão com a Madeleine Peyroux, mas a original é com a Edith Piaf) no seu Spotify e se teletranporte também para a "Cidade Luz".

QUANDO IR e quanto tempo ficar

Fomos em junho, no Verão Parisiense (Jun, Jul, Ago). Pegamos altas temperaturas (de passar mal de tanto calor, clima seco e céu azul.

Passamos dias lindos na cidade, mas o clima é MUITO seco, o que dá uma sensação de abafado. Além disso, ainda é época de férias na Europa, então estava bem movimentado. Aconselho ir na primavera, entre Abril e Maio, quando o clima está mais ameno e os parques bem floridos. 

Na primeira parte da viagem, ficamos 8 dias em Paris. Depois eu voltei sozinha e fiquei mais 6 dias durante o meu Summer School.

Acho que uma semana seria um bom tempo para conhecer a cidade e ainda conseguir visitar alguns lugares mais afastados do centro (como Versailles). Mas acredito que se você tiver pelo menos 4 dias, já vale (isso se você for conhecer outros lugares na Europa, claro. Essa é uma viagem carinha)!

Onde ficar

Como nos hospedamos na casa de parentes em Courbevoie, não temos dicas de hostel. Mas caso ache as hospedagens do centro de Paris muito careiras, uma boa dica é escolher um lugar um pouco mais afastado. O transporte público lá é super eficiente (para se locomover, não deixe de fazer seu Navigo), assim, estar um pouco mais distante da confusão não vai se tornar um incômodo.

onde comer

Sem dúvidas os Franceses sabem comer bem! Até o pão de padaria é goumert lá. E por falar em pão, é comum você receber de cortesia nos restaurantes uma cesta de pães de entrada. Delicinha!

 

Não fomos em nenhum restaurante famoso. Simplesmente olhávamos o menu e se o lugar fosse agradável a gente comia. Mas, uma dica excelente (que recebemos da família do Mozão) é pedir o plat du jour (ou "prato do dia" em português) em qualquer restaurante que você for comer. O preço é bem mais em conta (entre EUR 10 e EUR 15) e muitas vezes você tem direito à uma entrada ou uma taça de vinho.

Na Europa, é muito comum restaurantes que vendem comida para viagem (plats à emporter). Isso, porque em dias de sol e calor as pessoas gostam de aproveitar lugares abertos (já que no inverno isso não acontece), principalmente praças, para comerem e para fazer picnic. Então se você for em uma época propícia, aproveite para pedir o seu à emporter e faça um picnic ao ar livre :)

Outra dica que achei fundamental (se você quer ser bem atendido) é começar falando com os garçons em francês. Não precisa saber muito da língua para ir à Paris, mas com certeza será preciso decorar algumas palavras chaves para se comunicar melhor (tipo: bonjour, bonsoirmerci, pardon, désolé etc). 

Eu mesma sou uma desgraça para falar francês, mas sempre que ia me dirigir à alguém começava com:

Bonjour, je ne parle pas français, parlez-vous anglais? ("Bom dia, eu não falo francês, você fala inglês?")

E se a pessoa soubesse inglês era uma alegria, caso contrário eu me virava nos 15.

o que conhecer

 

Arco do triunfo

Fomos para Paris no nosso segundo dia na França. No primeiro dia estávamos cansados da viagem de avião e resolvemos ficar em casa e jantar com a família. 

Como não tínhamos roteiro, perguntamos para minha concunhada os lugares mais bonitos para ver na cidade. Montamos uma rota no mapinha do celular e lá fomos nós na nossa primeira aventura Parisiense. 

O dia estava quente e o céu azul. Pegamos nosso Navigo e entramos no metrô em La Defense rumo ao Arco do Triunfo, nossa primeira parada.

Chegando ao Arco você tem a opção de pagar a entrada (EUR 12 - horário de funcionamento: todos os dias, das 10h às 23h) para subir no topo e apreciar a vista  panorâmica de Paris, mas preferimos curtir o belo monumento de longe mesmo.

 

Jardim de Tuilerie

Nossa segunda parada na maratona (nosso passeio em Paris durou ao todo umas 10 hrs, mas mesmo cansados valeu cada segundo!) de Paris, o Jardim de Tuilerie é MUITO lindo e grande! Atravessamos ele todo a pé, admirando todos seus detalhes e andando em direção ao Louvre.

Uma das coisas que amei em Paris é que para qualquer lugar que você ande você encontra uma surpresa bonita. Cada cantinho da cidade tem um ar especial. Então aqui vai minha dica principal para quem quer conhecer a cidade: ande por ela, se perca nela!

 

Museu do Louvre

Quantas vezes eu vi o Louvre em filmes e sonhei em conhecê-lo! Um dos principais museus do mundo e não entramos. Que arrependimento! Não cometa esse erro. Mesmo se você, assim como a gente, não é muito fã de museus. Esse vale a pena conhecer, mesmo que depois você diga que não gostou tanto.

Só a parte de fora já é fenomenal. A estrutura de vidro é linda e o entorno também. Ficamos um tempo sentados nos refrescando e curtindo o lugar. 

 

Museu d'Orsay

Entramos no d'Órsay por recomendação da minha sogra (sogrinha te amo!). Ela falou que era um museu imperdível. Vai entender a gente. Não entramos no Louvre, repito, no LOUVRE e entramos no d'Orsay. Loucura, loucura, loucura!

Mas ela recomendou tanto que ficamos curiosos. 

O museu é bonito sim, mas fiquei mais impressionada com a sua estrutura e a vista do que com os artefatos. Não recomendaria a entrada (que custou EUR 12/pessoa) a não ser que você ame museus.

 

Catedral de Notre Dame 

Um dos nossos preferidos. Notre Dame é simplesmente magnífica

 

Me lembrou muito o desenho "O Corcunda de Notre Dame". É tão legal conhecer algo que você passou a infância assistindo pela TV.

Ficamos um bom tempo analisando cada um dos seus detalhes. Queríamos muito entrar. Mas, como a entrada é gratuita, a fila estava quilométrica dando voltas na praça que tem em frente. Estava muito quente para esperar em uma fila longa e no sol. Então, resolvemos dar a volta nela e seguir viagem.

Se não tiver muita fila ou o tempo estiver mais fresco, vale a pena aproveitar que é de graça e conhecer seu interior.

 

Jardim de luxemburgo

Sombra e água fresca! O Jardim de Luxembrugo é um bom lugar para descansar depois de tantas horas andando. Encontre uma sombrinha embaixo de uma árvore e aproveite para relaxar um pouco.

 

Torre Eiffel

Deixamos o melhor por último. A Torre Eiffel é IMPACTANTE e foi a nossa preferida em Paris!

Antes de chegarmos nela, resolvemos parar em um café e pedir o nosso à emporter para faxer um picnic. Depois de tantas horas andando, tudo que eu queria era comer e descansar as pernas. 

 

Muitas pessoas ficam na dúvida qual o melhor lugar para admirar a Torre. Como queríamos fazer um picnic, resolvemos ir para o Champ de Mars e não poderíamos ter escolhido melhor. Procuramos um lugar vazio e a sombra de uma árvore para colocar nosso paninho. 

Enquanto comíamos e descansávamos tivemos a vista privilegiada dessa beldade construída pelo homem. Foi com certeza um passeio inesquecível!

Depois de curtimos bastante Champ de Mars, passamos pertinho da Torre e atravessamos o Rio Sena até chegarmos do outro lado, perto do Trocadéro. Já era umas 22h da noite e ainda não tinha anoitecido. O pôr do sol transformou o tom da Torre, a deixando rosada. Foi lindo!

 

Montmartre

Tire um dia inteiro da sua programação para conhecer o charmoso bairro de Montmartre. O bairro respira arte, cultura e boemia! Visitar o lugar aonde fica o Moulin Rouge é um programa imperdível cheio de atrações.

O bairro é encantador e cheio de ladeiras, por ser localizado na parte mais alta de Paris. Por isso, resolvemos pegar o metrô e saltar bem no início da subida, em frente ao Moulin Rouge. Relembrei o filme que eu amava na minha adolescência (aquele musical maravilhoso com a Nicole Kidman, se você não assistiu, assista!) e começamos a subir por uma rua lateral. 

Nossa segunda parada foi o Le Mur des Je T'aime, que fica em uma área super romântica. Ele é basicamente um muro de tijolinhos azuis escrito "Te amo" em diversos idiomas. Seguimos por um lindo jardim, subimos uma escadaria e chegamos na terceira parada, o Maison Collignon (uma vendinha muito da charmosa). 

Continuamos nossa subida até a Place du Tertre também conhecido como a Praça dos Artistas. E é exatamente o que o nome diz, uma praça rodeada de bares e restaurantes e cheia de artistas (principalmente pintores) vendendo sua arte. Se você quiser uma pintura sua ou uma caricatura, lá é o lugar.

Depois de algum tempo ingerindo toda a cultura da praça, seguimos para nossa parada final: a Basílica de Sacré Coeur.

 

Na descida de volta para casa, paramos para almoçar em um dos vários restaurantes e também resolvemos nos perder um pouco nas ruazinhas do bairro. Seguimos sem rumo parando nos lugares que achávamos bonito. E foi assim que encontramos nossas casas dos sonhos! Eu escolhi uma e o Mozão outra.

 

Basílica de Sacré Coeur

Sacré Coeur é um lugar imperdível para conhecer. Não só pela Basílica em si que tem a entrada gratuita para uma de suas salas, mas mais ainda pela sua localização e vista privilegiada de uma região alta de Paris.

Fui duas vezes de tanto que gostei!

Um bom programa é comprar um vinho e assistir ao pôr do sol da escadaria em frente a Basílica. Foi o que eu fiz com o pessoal do Summer School e AMEI!

Posts relacionados: