• Carla Avena

Gruta da Judeia e Caverna do Maroaga, Presidente Figueiredo, Amazonas

Atualizado: 5 de Dez de 2018



Nós fomos a Manaus em novembro de 2018 (veja aqui o post completo) e recebemos muitas indicações para ir a Presidente Figueiredo, uma cidade repleta de cachoeiras e trilhas, a 107km de Manaus.


Como a gente só ficou uma tarde e conheceu apenas um dos passeios, não incluí no roteiro de Manaus, mas queria contar um pouquinho como foi. Então, tcharam, criei esse post.


Algumas empresas oferecem passeios fechados pra Presidente Figueiredo, com saída de manhã de Manaus e retorno no final da tarde. A gente preferiu alugar um carro.


No caminho vimos um grupo de Araras nos acompanhando (elas sempre andam em dupla, e esse grupo tinha 6 araras), a estrada é bem bonita, passamos por vários trechos de rios.

Demoramos em torno de 1 hora até lá. Quando chegamos, fomos direto ao CAT (centro de atendimento ao turista) que fica logo na entrada da cidade. Todo mundo fala que em Presidente Figueiredo tem muito Galo da Serra, uma ave laranja com uma crina parecida com a de um galo. Para ver essa ave, nos indicaram o passeio da Gruta da Judeia/ caverna de Maroaga.





Lá fomos nós. A entrada para a trilha fica pertinho da cidade, 10km no sentido Balbina, nessa casinha amarela da foto acima.


Por estar em uma área de proteção ambiental, a trilha só pode ser feita com guias. Pagamos BRL100 (nós 3) para ir e voltar com o guia. Achei bem caro quando retornamos, a trilha não tem grandes desafios.


A caminhada tem em torno de 3km. Começa com uma descida e, na volta, voltamos subindo um pouco. Bem tranquila e sem grandes desafios.


A primeira parada é na Caverna Maroaga, mas poucos minutos antes de chegarmos começou uma chuva braba! Enrolamos nossos pertences em sacos plásticos e continuamos.


É uma caverna enorme (com mais ou menos 500m de extensão) e uma entrada bem grande. Ali, 5 cm de água brilhava em um espelho no chão, enquanto um barulho de morcegos vibrava lá pra dentro. O Dani entrou caminhando com o guia por mais uns 60m, enquanto eu e Antonio esperamos ali na entrada. Bem bonito.


Continuamos a caminhada pelo entorno da caverna, andando na água, até chegar na Gruta da Judeia. Várias entradinhas para as cavernas, uma piscina bem rasinha de água na porta e cipós caindo lá de cima. Quando tá chovendo tem uma queda d'água lá de cima, dizem que é bem bonito.




A volta não tem grandes pontos de interesse, a não ser pela tranquilidade de caminhar pela mata, aquele cheirinho de terra molhada (no nosso caso, já que choveu), e uma sinfonia das aves locais. Só não vimos o famoso Galo da Serra.


3 visualizações